Estudos Bíblicos

"Prossigamos até a perfeição" Hb 6:1

Você está aqui: HomeDoutrinas Fundamentais Eleição e Predestinação Geração eleita

Patrocínio

Geração eleita

order accutane online canada clomid online without prescription here lipitor generic aarp continue pfizer discount card for lipitor O evangelho é água limpa que lava o homem da imundície da geração segundo a carne, o sangue e a vontade do varão ( Jo 1:12 ; Pv 30:12 ). Através do evangelho ocorre a regeneração, ou o novo nascimento, que limpa o homem da imundície da primeira geração. Somente através desta renovação operada por Deus (novo coração e um novo espírito) é que o homem torna-se eleito de Deus, pois passa a fazer parte da nova geração, a geração eleita.

"Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz"( 1Pe 2:9 )

Desde a reforma a doutrina da eleição é apresentada por alguns como um mistério, e para outros, resume-se somente em controvérsias.

Mas, ao escrever aos cristãos da dispersão, o apóstolo Pedro os nomeou de ‘geração eleita’, o que nos lança luz aos mistérios e dissolve as controvérsias.

Geralmente os teóricos pensam a eleição como uma escolha de Deus que recai sobre indivíduos e, deixam de considerar no que consiste a ideia de ‘geração escolhida’.

O apóstolo Pedro enfatiza que os cristãos são a geração eleita, o que invalida a ideia que Deus tenha escolhido ou rejeitado, sem critério plausível, indivíduos em particular.

Segundo as teorias que tentam explicar a doutrina da eleição, com principal destaque as teorias calvinistas e arminianistas, Deus escolheu alguns indivíduos para serem salvos antes mesmos que eles viessem a existir. Tais teorias descartam totalmente o exposto pelo apóstolo Pedro que dá ênfase à geração (substantivo), pois sem a existência desta geração específica não há que se falar em eleitos.

A exposição paulina de que primeiro é a geração dos homens naturais e, depois, a geração dos espirituais, também é descartada pelas teorias calvinistas e arminianistas ( 1Co 15:46 ), do mesmo modo que não se leva em conta o que Jesus expos ao dizer: ‘os nascidos da carne é carne’ e ‘os nascidos do Espírito é espírito’.

Embora haja certa divergência se a eleição se dá pela 'soberania' ou pela concepção teológica que se formou entorno da 'presciência' de Deus, a doutrina da eleição, tanto calvinista quanto arminianista, afirma igualmente que Deus elege indivíduos em particular para serem salvos.

Como Deus escolheria alguns homens para serem salvos antes mesmo de nascerem, se todos os homens pecaram? Quem Deus escolheria para a salvação, se todos são concebidos em pecado? Qual é a base desta escolha?

Ao tratarem da eleição, ambos os posicionamentos não consideram que a bíblia apresenta dois tipos de nascimentos e dois tipos de gerações, E considerar que Deus escolhe algumas pessoas para serem salvas e outras para a danação eterna, depõe contra a graça de Deus e o propósito que há no evangelho "Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade" ( 1Tm 2:4 ).

O modelo que tomou forma e robustez no período da reforma com nomes como Lutero, Calvino, Armínio, Zuínglio, Spurgeon, Owen, etc., e influenciou muitos escritores contemporâneos, vê-se que consideraram que a existência do homem restringe-se a um único nascimento: o nascimento segundo a carne de Adão. E se esquecem de considerar que a bíblia apresenta uma nova geração através do novo nascimento que dá origem à ‘geração eleita’.

A bíblia faz referência a duas sementes: a semente corruptível proveniente da semente de Adão, e a semente incorruptível, que é a palavra de Deus. Assim como há duas sementes, consequentemente, há duas gerações. Quando o salmista diz: "Uma semente o servirá; será declarada ao Senhor a cada geração" ( Sl 22:30 ), ele aponta para uma semente específica, a semente incorruptível, que traz a existência homens que servem a Deus, diferente da semente de Adão, que está em inimizade com Deus ( 1Pe 1:23 ).

Da semente incorruptível surge a geração dos filhos de Deus, daqueles que buscam a face do Deus de Jacó "Esta é a geração daqueles que buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó" ( Sl 24:6 ), porém, da semente corruptível de Adão surge somente a geração dos ímpios, cujo machado já está posto à raiz deles "Porque o SENHOR ama o juízo e não desampara os seus santos; eles são preservados para sempre; mas a semente dos ímpios será desarraigada" ( Sl 37:28 ; Mt 3:10 ).

A geração de Adão, que é proveniente da semente corruptível, não é a geração eleita. Dos filhos de Adão não há um homem se quer que busque a Deus, antes todos se desviaram e juntamente tornaram-se imundos ( Sl 14:3 ; Sl 53:3 ). Da geração adâmica não há quem faça o bem, visto que o homem mais reto é um espinho e o mais justo como uma sebe de espinhos ( Mq 7:4 ). Os descendentes da semente de Adão se extraviam de Deus e proferem mentiras desde que nascem ( Sl 58:3 ).

A geração segundo a vontade da carne, do sangue e a vontade do varão produz homens carnais, rejeitados por Deus ( Jo 1:12 ; Jo 3:6 ). Nenhum homem desta geração imunda é eleito para ser santo e irrepreensível, tão pouco eleito para ser salvo, visto que em um único evento, a desobediência de Adão, todos se tornarem imundos.

Porém, a geração segundo a vontade de Deus é proveniente da semente incorruptível. Esta semente produz homens espirituais, eleitos de Deus por causa da cabeça de uma nova geração, que é Cristo. Cristo, o último Adão é o homem eleito, em quem ‘todas as famílias da terra seriam bem-aventuradas’.

Deus não escolheu ninguém dentre os filhos de Adão para salvação. Por quê? Porque da semente de Adão todos pecaram e foram destituídos estão da glória de Deus ( Rm 3:23 ). A lei de Deus é irrevogável: a alma que pecar esta morrerá! Como a separação de Deus passou a todos os homens, significa que todos pecaram, ou seja, todos morreram. Os homens gerados segundo a carne estão mortos em delitos e pecados, isto impede que sejam eleitos por Deus para serem santos e irrepreensíveis ( Ef 2:1 ; Ef 1:4 ).

Somente nascendo de novo é possível tomar parte da nova geração, momento que o novo homem herda a vida eterna e tornar-se santo e irrepreensível diante de Deus segundo a eleição "Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre" ( 1Pe 1:23 ). É por isso que Jesus apresentou a Nicodemos a necessidade de nascer de novo ( Jo 3:3 ).

Ou seja, o homem não é eleito para nascer de novo, antes nasce de novo através da semente incorruptível e, após a regeneração, torna-se membro da geração eleita, o que o torna santo e irrepreensível diante de Deus.

Haveria como alguém morto em delitos e pecados ser eleito de Deus como santo e irrepreensível? Não! É por isso que apareceu a benignidade e amor de Deus, segundo a sua misericórdia, salvando os homens pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo ( Tt 3:5 ). Observe bem: Deus salva pela lavagem da regeneração e renovação do Espírito, e não através da eleição, como alguns dizem.

O evangelho é água limpa que lava o homem da imundície da geração segundo a carne, o sangue e a vontade do varão ( Jo 1:12 ; Pv 30:12 ). Através do evangelho ocorre a regeneração, ou o novo nascimento, lavagem que limpa o homem da imundície da primeira geração. Somente através desta renovação operada por Deus (novo coração e um novo espírito) é que o homem torna-se eleito de Deus, pois passa a fazer parte da nova geração, a geração eleita ( Ez 36:25 -27).

Patrocínio

Depoimentos

left
"A concepção mais excelente de amor foi alterada com a dinâmica da língua, mas a essência do amor permanece inviolável".
 

Lançamento

left
Acesse a loja do portal Estudo Bíblico e adquira o livro 'A Obra que demonstra Amor a Deus'.