Estudos Bíblicos

"Prossigamos até a perfeição" Hb 6:1

Você está aqui: HomeEstudos Bíblicos Comentário Bíblico Artigos A planta que o Pai não plantou

Patrocínio

A planta que o Pai não plantou

A planta que o Pai não plantou é proveniente da semente corruptível de Adão. Esta semente não é sujeita à vontade de Deus. É uma semente de inimizade e todos que dela são nascidos, não podem ver o reino de Deus "Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser" ( Rm 8:7 ).

Certa feita Jesus apresentou-se na sinagoga, em Nazaré, e lhe deram o livro de Isaias. Quando Ele abriu o livro, achou o texto que dizia: "O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, a pregar liberdade aos cativos, e restauração da vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do SENHOR..." ( Lc 4:18 -19).

Foi quando Jesus anunciou ao povo: "Hoje se cumpriu esta Escritura em vosso ouvidos" ( Lc 4:21 ).

Quando Jesus esteve entre os homens, o Espírito de Deus esteve sobre Ele ( Jo 10:30 ). A missão de Jesus era trazer boas novas aos pobres de espírito ( Mt 5:3 ). Ele foi enviado para consolar os contritos de coração. Jesus apresentou-se como liberdade para os cativos do pecado. Aos cegos, Jesus é a Luz. Os oprimidos pelo pecado encontram liberdade em Cristo. Jesus inaugurou o tempo (ano) em que os homens são aceitáveis diante de Deus ( 2Co 6:2 ).

Isaias profetizou que, após Jesus desempenhar a sua missão, os homens seriam chamados de árvores de justiça, plantação do Senhor, para que Deus fosse glorificado.

Através da obra realizada por Cristo, os homens seriam chamados de plantação de justiça, ou seja, de "plantas que o Pai plantou".

A palavra de Deus (evangelho) é a semente que dá origem às 'árvores de justiça' "Esta é, pois, a parábola: A semente é a palavra de Deus" ( Lc 8:11 ). As plantas que o Pai plantou, tem origem na semente incorruptível, que é a palavra de Deus ( 1Pe 1:23 ).

Cristo é o semeador, bem como todos aqueles que anunciam as boas novas do evangelho "O que semeia, semeia a palavra" ( Mc 4:14 ). Mas, para semear a palavra, é preciso ser nascido da vontade de Deus. É preciso receber poder para ser feito filho de Deus ( Jo 1:12 -13).

Não há como anunciar a palavra do evangelho se o homem não é nascido dela. Ou seja, só é possível ao homem produzir o fruto dos lábios que professam a Cristo, após ele ser gerado da palavra.

É por isso que o evangelho é poder de Deus para todo aquele que crê ( 1Co 1:18 ; 1Co 2:5 ; Rm 1:16 ). O evangelho é poder proveniente de Deus que concede vida aos homens.

Jesus veio '...restaurar a vista aos cegos...', porém, os fariseus e escribas acreditavam que tinham perfeita visão acerca das coisas celestiais. A missão a que Jesus veio realizar, não foi operada naqueles que acreditavam possuir uma perfeita visão "E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem sejam cegos. E aqueles dos fariseus, que estavam com ele, ouvindo isto, disseram-lhe: Também nós somos cegos? Disse-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Vemos; por isso o vosso pecado permanece" ( Jo 9:39 -41).

Jesus veio para os doentes, mas os religiosos acreditavam que eram são: "E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento" ( Mc 2:17 ).

Mas, por que os fariseus e escribas consideravam que eram são? Porque eles acreditavam que eram filhos de Deus, por serem descendentes de Abraão "Disseram-lhe, pois: Nós não somos nascidos de prostituição; temos um Pai, que é Deus" ( Jo 8:41 ).

Os fariseus e escribas estavam corretos? Eles eram filhos de Deus por serem descendentes de Abraão? Não! Os filhos de Deus têm origem na mesma fé que teve o crente Abraão e não na semente corruptível da descendência do patriarca "De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão" ( Gl 3:9 ).

Para os homens serem benditos como o crente Abraão, ou seja, filhos do Altíssimo, é preciso crer na palavra de Deus como Abraão creu e isto lhe será imputado por justiça. Deus não faz acepção de pessoas e todos os que creem, conforme creu Abraão, são justificados pela sua maravilhosa graça.

Quando Abraão creu em Deus, ele tornou-se árvore de justiça, planta que o Senhor plantou (justificado). Porém, os seus descendentes carnais não alcançaram a mesma condição diante de Deus.

Ser filho de Abraão é praticar as obras de Abraão, ou seja, crer na palavra de Deus. É receber a semente incorruptível no coração. Está é a obra de Deus: crer naquele que Ele enviou ( Jo 8:39 ; Jo 6:29 ). Abraão executou as obras de Deus porque creu em Deus, mas os seus descendentes, confiados na carne, ou seja, em sua origem, não criam naquele que Deus enviou, e, portanto, não creram em Deus.

Os fariseus e escribas eram descendentes de Abraão ( Jo 8:37 ), mas, não eram filhos de Deus. Eles pensavam que bastava professar serem descendentes de Abraão para alcançar a filiação divina ( Mt 3:9 ).

Os fariseus e escribas não eram plantas plantadas por Deus (não criam em Cristo) e, por isso, seriam arrancados (passíveis do juízo de Deus) "Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porque não crê no nome do unigênito Filho de Deus" ( Jo 3:18 ).

Sabemos que, aqueles que não creem em Cristo, são plantas não plantadas pelo Pai, e aqueles que creem, são árvores de justiça, plantas pertencentes ao Pai.

Mas, quando e onde os homens ímpios foram plantados, visto que, todos os homens são plantas?

Os judeus consideravam que eram filhos de Deus por serem descendentes na carne de Abraão. Esqueceram que Abraão recebeu a filiação divina quando creu em Deus, e isto lhe foi imputado por justiça.

Embora os judeus fossem descendentes segundo a carne de Abraão, todavia, continuavam sendo filhos de Adão, pois a filiação divina só é possível através da fé.

Ou seja, todos os homens nascidos em Adão são plantas que o Pai não plantou. Não são árvores de justiça, e, portanto, não é plantação do Senhor!

Abraão era descendente de Adão, segundo a carne, e gerava filhos carnais. Os seus descendentes eram concebidos em pecado, da mesma forma que todos os homens são concebidos "Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe" ( Sl 51:5 ).

Por meio da fé Abraão tornou-se uma planta que o Pai plantou, pois ele foi justificado por Deus. Mas, os seus descendentes continuaram a ser gerados segundo a carne de Abraão, o que remete a Adão.

Embora Abraão tenha alcançado a condição de homem espiritual por confiar na promessa de Deus, contudo, ele continuava a gerar filhos segundo a carne, participantes da semente corruptível de Adão.

Somente os nascidos de Deus são criados homens espirituais. Abraão era filho de Deus pela fé e somente os que creem em Deus, conforme o crente Abraão, são gerados d'Ele.

A humanidade é uma plantação proveniente de uma semente corruptível (que não permanecerá para sempre), a semente de Adão. Todos os homens que vem ao mundo são plantas que o Pai não plantou e é por isso que a Bíblia diz que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.

Por nascerem da vontade da carne, da vontade do varão e do sangue, os homens vêm ao mundo sob condenação. Somente após nascerem de novo, segundo a vontade de Deus (Espírito) e da semente incorruptível (água), o homem torna-se plantação do Senhor.

"E todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a terra; serão renovos por mim plantados, obra das minhas mãos, para que eu seja glorificado" ( Is 60:21 ).

Para nascer de novo, é preciso ser plantado por Deus (renovo por mim plantados). A nova criatura gerada em Cristo é obra exclusiva das mãos de Deus. Não há como o homem participar ativamente do novo nascimento, pois está glória, somente a Deus pertence.

Para que o homem seja plantado pelo Pai é preciso crer na palavra de Deus que diz: "Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro" ( Is 45:22 ). Aquele que olha para o autor e consumador da fé é porque creu que somente Deus pode salvá-lo.

Quem não crê no unigênito Filho de Deus deixa de olhar, e sofrerá as conseqüências do pecado da mesma forma que os picados pelas serpentes no deserto que não olhassem (cressem) para a serpente de metal sofreriam, na ocasião em que os hebreus atravessavam o deserto a caminho da terra prometida!

A planta que o Pai não plantou é proveniente da semente corruptível de Adão. Esta semente não é sujeita à vontade de Deus. É uma semente de inimizade e todos que dela são nascidos, não podem ver o reino de Deus "Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser" ( Rm 8:7 ).

As plantas que não foram plantadas por Deus serão arrancadas, pois não subsistirá ao juízo: "Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos" ( Sl 1:5 ).

Sobre este aspecto, vaticinou João Batista: "E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo" ( Mt 3:10 ).

Enquanto os fariseus e escribas continuassem professando que eram filhos de Deus por serem descendentes de Abraão, estaria produzindo um mau fruto, o que indicava que Eles não eram plantas que o Pai plantou e sujeitos à ira de Deus.

Somente as árvores que produzem bons frutos, ou seja, que professam a proximidade do reino dos céus (a Cristo) permanecerão para sempre ( Hb 13:15 ). Não serão cortadas, pois Deus mesmo as plantou, e serão para sempre obras das mãos de Deus. Renovos (plantas) plantados por Deus.

Patrocínio

Depoimentos

left
"A concepção mais excelente de amor foi alterada com a dinâmica da língua, mas a essência do amor permanece inviolável".
 

Lançamento

left
Acesse a loja do portal Estudo Bíblico e adquira o livro 'A Obra que demonstra Amor a Deus'.