Estudos Bíblicos

"Prossigamos até a perfeição" Hb 6:1

Você está aqui: HomeEstudos Bíblicos Comentário Bíblico Artigos É possível tomar o reino dos céus à força

Patrocínio

É possível tomar o reino dos céus à força

A voz de Cristo ecoou em Jerusalém, e os seus súditos por se acharem ricos e abastados não o atenderam. Os ricos de "violência" não reconheceram as suas misérias quando o rei clamou: "Bem-aventurado os pobres de espírito, pois deles é o reino dos céus" ( Mt 5:3 ). Eles se escandalizaram de Cristo e da sua mensagem ( Mt 11:6 ; Mt 13:57 ). A rejeição à justiça de Deus é violência ao reino dos céus. Onde não se estabelece a justiça há violência! ( Lc 11:50 ).

 

 

"E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele" ( Mt 11:12 )

 

O escritor Myer Pearman deixou registrado o seguinte na tentativa de explicar Mateus 11: 12: "Ninguém entra por descuido na vida cristã vitoriosa; são os ativos que tomam o Reino por assalto (Mt 11. 12)" Pearlman, Myer, Mateus, o Evangelho do Grande Rei, 1. ed, Rj, CPAD, 1995, pág. 42.

É isto mesmo que Jesus procurou evidenciar àqueles que O ouviam? Ele apregoou ao povo que é possível ao homem se apossar do reino dos céus à força?

Para compreender a ideia da mensagem que Jesus apregoou ao povo de Israel, é preciso analisar alguns textos da Escritura (Antigo Testamento).

 

"Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!" ( Jr 17:5 )

 

Quando o profeta Jeremias disse: "Maldito o homem que confia no homem", ele quis demonstrar que o homem que confia em si mesmo é maldito. Mas, por que o homem que confia em si mesmo é maldito?

É certo que o homem não é maldito por utilizar a força dos seus braços para trabalhar e obter o seu sustento, uma vez que Deus determinou ao homem viver do suor do seu rosto ( Gn 3:19 ).

A quem Deus reputa por maldito?

Os ouvintes de Jeremias eram dados a seguir o propósito de seus corações malignos ( Jr 16:12 ), e não davam ouvidos a palavra do Senhor. Confiavam em suas capacidades de articulação política e desviavam-se da determinação divina.

Eles se apartavam do Senhor pela incredulidade, pois confiavam em si mesmos e em elementos provenientes da carne.

Diferente da perspectiva dos ouvintes de Jeremias é a perspectiva dos que conhecem a verdade do evangelho.

À época de Cristo os judeus confiavam na carne, ou seja, confiavam que eram filhos de Deus por serem descendentes de Abraão. Através do evangelho de Cristo sabemos que todos que confiam na carne apartam o seu coração do Senhor "Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência" ( Rm 9:8 ).

Quando o homem confia em sua carne, rejeita a salvação que é proveniente dos braços de Deus, como se lê: "Perto está a minha justiça, vem saindo a minha salvação, e os meus braços julgarão os povos; as ilhas me aguardarão, e no meu braço esperarão" ( Is 51:5 ; Is 33:2 ).

Através da perspectiva do evangelho, verifica-se que Deus tem por maldito o homem que faz da carne a sua salvação, ou seja, que considera a descendência de Abraão (carne) o seu braço.

Sabemos que a fé (confiança) é a única maneira de o homem aproximar-se de Deus ( Hb 11:6 ). A ausência de fé mantém-no afastado de Deus, ou seja, apartado de Deus.

Mas, em que confiam os homens?

 

"Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do SENHOR nosso Deus" ( Sl 20:7 ).

 

Dentre aqueles que confiam em si, ou que seus próprios braços os 'salvará', há aqueles que confiam em carros e cavalos (riquezas). São os néscios ( Sl 49:6 -9 ; Lc 12:20 ). Porém, também há os que se dizem religiosos, que confiam em suas 'boas' ações e que elas os salvará.

Dentre estes, há aqueles que confiam na carne, ou seja, que faz da sua origem em Abraão a sua força (salvação) "E não presumais, de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que, mesmo destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão" ( Mt 3:9 ).

Observe a presunção dos fariseus e escribas: 'temos por pai a Abraão', ou seja, eles consideravam que não precisavam de arrependimento, pois entendiam que já estavam salvos por simplesmente serem descendentes de Abraão. Eles confiavam efetivamente na carne.

O apóstolo Paulo demonstrou que jamais voltaria a confiar na carne como os demais judeus. Eles tinham zelo de Deus, porém, sem entendimento: "Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu:" ( Fl 3:4 ; Rm 10:2 ).

Enquanto o homem confia que é filho de Deus por ser descendente de outro homem (ex.: os judeus), permanecerá debaixo da maldição de Adão. Todos os homens são gerados em pecado e concebidos em pecado por serem descendentes de Adão, sendo, portanto, filhos da desobediência e da ira ( Sl 51:5 ).

Aqueles que confiam no Senhor, e cuja esperança é o Senhor, receberão um novo coração e um novo espírito, e serão chamados filhos de Deus, porém, é preciso crer conforme diz as Escrituras "Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto" ( Sl 51:10 ).

Através deste versículo conseguimos determinar que:

a) Somente pela fé o homem aproxima-se de Deus;

b) A carne representa todos os elementos pertinentes ao velho homem criado em Adão;

c) O braço expressa força e salvação.

 

Se o homem confia na sua carne e faz dela a sua força, braço ou salvação, será maldito. Mas, quem crer em Deus verá o 'braço' do Senhor que é Cristo revelado aos homens "O SENHOR desnudou o seu santo braço perante os olhos de todas as nações; e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus" ( Is 52:10 ).

 

"E respondeu-me, dizendo: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos" ( Zc 4:6 )

 

Se a palavra de Deus a Zorobabel diz que não é por força e nem por violência, porque muitos entendem que é possível tomar o reino de Deus por assalto?

O erro na interpretação bíblica tem início quando se utiliza somente do trabalho de lexicógrafos para interpretá-la. Só porque a palavra grega 'harpazeia' significa apanhar, agarrar, arrebatar, isto não determina que seja possível tomar o reino dos céus à força.

É preciso comparar as coisas espirituais com as espirituais, ou seja, somente a bíblia pode explicar a si mesma!

Os judeus entendiam que o 'reino dos céus' seria estabelecido quando eles obtivessem poder e força bélica, mas Deus disse a Zorobabel que não seria por força e nem por violência, antes é Deus quem faria todas as coisas, ou seja, pelo Espírito de Deus "Porque a minha mão fez todas estas coisas, e assim todas elas foram feitas, diz o SENHOR; mas para esse olharei, para o pobre e abatido de espírito, e que treme da minha palavra" ( Is 66:2 ).

O homem que confia na sua carne, ou melhor, que por meio de sua origem é agradável a Deus é aquele que não 'treme' da sua palavra. Quem confia na sua carne não é bem-aventurado, pois não reconhece que é um pobre de espírito.

Mas, todos aqueles que confiam no Senhor, que temem ao seu nome ou que 'treme' da sua palavra, são bem-aventurados, uma vez que Deus olha para os 'pobres' de espírito "E bem-aventurado é aquele que não se escandalizar por minha causa" ( Mt 11:6 ).

Os pobres de espírito são aqueles que não se escandalizam da doutrina de Cristo! Para não se escandalizar de Cristo é preciso não confiar na carne, como fazia os escribas e fariseus.

Jesus disse que o homem é bem-aventurado por não se escandalizar dele, ou seja, a partir do momento que o homem treme (confia) da palavra de Deus, que é Cristo, ele é bem-aventurado.

Para isto Cristo veio: para anunciar as boas novas do evangelho aos pobres de espírito, aos que não confiam na carne ( Mt 11:5 )!

Jamais a força ou a violência poderia estabelecer o reino dos céus! Enquanto os habitantes de Jerusalém esperavam estabelecer o reino de Deus através de alianças políticas, ou através de forças bélicas, a palavra de Deus por intermédio dos seus profetas alertava: o reino de Deus haveria de se revelar em glória através do seu servo, o 'Renovo' ( Zc 3:8 ).

Somente o Renovo do Senhor, que é Cristo, estabeleceria o reino de Deus entre os homens.

Há muito tempo, bem antes de Zorobabel nascer, Ana profetizou: "Ele guarda os pés dos seus santos, porém os ímpios emudecem nas trevas. Não é pela força que prevalece o homem" ( 1Sm 2:9 ).

A exemplo de Ana, a força do homem deve estar no Senhor ( 1Sm 2:1 ). As outras mulheres confiam literalmente na carne, pois elas não eram estéreis. Ana, porém, por ser estéril, passou a confiar exclusivamente no Senhor "O arco dos fortes está quebrado, mas os fracos são cingidos de força" ( 1Sm 2:4 ).

Patrocínio

Depoimentos

left
"A concepção mais excelente de amor foi alterada com a dinâmica da língua, mas a essência do amor permanece inviolável".
 

Lançamento

left
Acesse a loja do portal Estudo Bíblico e adquira o livro 'A Obra que demonstra Amor a Deus'.