Estudos Bíblicos

"Prossigamos até a perfeição" Hb 6:1

Você está aqui: HomeLições Bíblicas Análise Bíblica Parábola As Cem Ovelhas

Patrocínio

As Cem Ovelhas

O pregador deve levar a idéia da parábola aos seus ouvintes, e não ficar estabelecendo relações entre pessoas e figuras pertinentes a parábola. Quando o pregador demonstrar as verdades que Jesus ensinava através das parábolas, haverá uma conscientização maior sobre o que é a salvação de Deus em Cristo. O pecador perceberá que não adianta apontar as outras pessoas como sendo mais pecadoras que ele. O pecador perceberá que a sua conduta ilibada não o salvará. O pecador perceberá que não há desculpas ou justos diante de Deus, e acabará reconhecendo a sua condição.

 

E chegavam-se a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir.
E os fariseus e os escribas murmuravam dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles.
E ele lhes propôs esta parábola, dizendo: Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la? E achando-a, a põe sobre os seus ombros, gostoso; E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.
Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

Lc 15:1 -10

Em linhas gerais uma parábola é utilizada para ilustrar uma ideia.

Jesus contou três parábolas para tornar evidente a mesma ideia. As três parábolas são: as cem ovelhas, as dracmas e o filho pródigo.

Estas parábolas ilustram uma mesma ideia: a alegria por um pecador que se arrepende.

Há vários sermões e interpretações sobre estas passagens. Geralmente os pregadores utilizam estas passagens bíblicas para fazer um apelo aos seus ouvintes que deixaram de freqüentar as reuniões.

Aliado a isto, alguns hinos também fazem referência a esta parábola. É bem provável que você tenha na lembrança alguma canção sobre o filho pródigo ou sobre as Cem ovelhas.

Qual a mensagem que Jesus procurou transmitir através desta parábola?

Para interpretar a parábola das Cem Ovelhas, em primeiro lugar é preciso verificar qual foi o público alvo da mensagem:

1º) O texto do Evangelho de Lucas demonstra que se achegavam a Cristo TODOS os publicanos e pecadores para ouvi-lo ( Lc 15:1 ); publicanos e pecadores remete ao povo que não 'entendiam' da lei;

2º) Que os fariseus e os escribas ao verem Jesus recebendo uma multidão de ‘pecadores’ passam a murmurar dele dizendo: “Este (Jesus) recebe pecadores (o povo), e come com eles” ( Lc 15:2 ). Os escribas e fariseus se diziam justos por 'conhecerem' a lei mosaica.

A atitude dos fariseus e dos escribas motivou a resposta de Cristo por intermédio das parábolas.

Quando Jesus ouviu as críticas dos fariseus e escribas sobre a atitude dele receber e comer com o povo (pecadores) foi proposta a parábola das cem ovelhas “Então...” (v. 3).

"Jesus direcionou a parábola das cem ovelhas aos escribas e fariseus"

Jesus questionou os fariseus e os escribas: “Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la?” ( Lc 15:4 ).

A ilustração (parábola) de Jesus é pertinente, pois o povo de Israel tradicionalmente era conhecido pelo cuidado com rebanhos de ovelhas. Davi era um pastor de ovelhas.

Qual seria o comportamento de qualquer um daqueles fariseus e escribas quando perdessem uma ovelha? É claro que deixariam o rebanho das ovelhas e sairiam à procura da desgarrada.

O fato de um pastor localizar uma só ovelha perdida é motivo de muita alegria. Alegria está que estende-se até os seus amigos e familiares: “Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida” ( Lc 15:6 ).

Após expor a parábola, Jesus demonstrou o seu objetivo: “Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” ( Lc 17:7 ).

A parábola é um convite aos desgarrados ou uma reprimenda aqueles que se consideravam justos? Está bem nítido que Jesus estava reprimindo a atitude dos fariseus e escribas que murmuraram acerca de Jesus.

Como os escribas e fariseus haviam decorado os salmos, bem sabiam que não há um justo sequer sobre a face da terra ( Rm 3:10 e Sl 14:1 -3).

Jesus demonstra que a atitude deles era a de quem se achava justo, embora a Escritura demonstrasse que a condição deles não era a de justos perante Deus.

Quem se acha justo aos próprios olhos considera não ser preciso mudar de concepção. Os fariseus e escribas continuavam apegados a idéia de que eram salvos por serem descendentes de Abraão.

O elemento principal da parábola não está no fato da ovelha desgarrar-se, e sim, na alegria do pastor ao reencontrá-la! A parábola foi contada no intuito de ilustrar a alegria nos céus quando um pecador arrepende-se (deixando as suas concepções)!

A parábola demonstra a alegria do Redentor ao encontrar o pecador.

Enquanto os fariseus e escribas não reconhecessem que eram pecadores, era impossível terem um encontro com Jesus.

Muitos pecadores dentre o povo, e alguns cobradores de impostos eram a alegria do Bom Pastor, pois vinham a Jesus e se arrependiam.

Os fariseus e escribas, por se considerarem justos, fazem parte das 99 ovelhas que não trazem alegria aos céus, visto que não alcançam a salvação em Cristo.

Ao analisar a idéia da parábola, não é correto utilizá-la para fazer apelo aos desviados. Da mesma forma não é correto utilizá-la para motivar os cristãos ao evangelismo.

Esta parábola terá eficácia se o pregador demonstrar que todo aquele que não se arrepender dos seus pecados pertence ao grupo dos fariseus e escribas (o grupo das 99 ovelhas).

O pregador deve esclarecer os não crentes seguros na sua religião que o arrependimento (mudança de conceito) é a única maneira de se alcançar a Deus. Só através do arrependimento o pecador reconhece que precisa de um redentor. Através do arrependimento Deus estende o seu braço forte e salva o mais vil pecador.

O arrependimento é quanto aos conceitos que eles tinham. Os fariseus se achavam justos diante de Deus, e deviam arrepender-se deste conceito errôneo.

O pregador deve levar a idéia da parábola aos seus ouvintes, e não ficar estabelecendo relações entre pessoas e figuras pertinentes a parábola. Quando o pregador demonstrar as verdades que Jesus ensinava através das parábolas, haverá uma conscientização maior sobre o que é a salvação de Deus em Cristo.

O pecador perceberá que não adianta apontar as outras pessoas como sendo mais pecadoras que ele. O pecador perceberá que a sua conduta ilibada não o salvará. O pecador perceberá que não há desculpas ou justos diante de Deus, e acabará reconhecendo a sua condição.

Há alegria dos anjos diante de Deus quando um pecador se arrepende, e os cristãos devem saber que: a igreja de Deus é composta de ovelhas desgarradas, ou de homens que se arrependeram de seus conceitos. A igreja de Jesus produz alegria nos céus.

A parábola serve para ilustrar o que foi exposto no capítulo treze do evangelho de Lucas: "Pensais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?" ( Lc 13:1 -5).

Fica o alerta: há muitas mensagens que estamos acostumados a ouvir, porém, se você analisar o seu conteúdo, verá que ela não está em conformidade com a idéia bíblia.

"Uma mentira dita inúmeras vezes pode passar por verdade"

Aplique o que você aprendeu com a parábola das cem ovelhas às parábolas das dez dracmas e a do filho pródigo. Relacione estas parábolas com o que Jesus propôs a Nicodemos e com o exposto em Lucas 13.

Patrocínio

Depoimentos

left
"A concepção mais excelente de amor foi alterada com a dinâmica da língua, mas a essência do amor permanece inviolável".
 

Lançamento

left
Acesse a loja do portal Estudo Bíblico e adquira o livro 'A Obra que demonstra Amor a Deus'.